previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
Shadow
Slider

5 equipamentos de segurança indispensáveis para sua casa

Segurança é sempre um assunto em alta, afinal, é preciso se proteger da violência e crimes frequentes nas grandes cidades. Para diminuir os riscos de sinistro, muitos equipamentos de segurança foram desenvolvidos. Eles ajudam a combater, ou ao menos, reduzir os riscos de virar alvo da criminalidade.

Pensando nisso, nós resolvemos trazer nesse post algumas dicas sobre ferramentas de segurança essenciais que não podem faltar em seu condomínio

Câmeras de vigilância

Como não poderia deixar de ser, as câmeras de vigilância são unanimidade quando o assunto é segurança residencial. Essa ferramenta é a mais buscada, pois seus efeitos são comprovadamente satisfatórios.

Com o monitoramento constante, as câmeras de vigilância possuem efeito inibidor de atividades ilícitas. Isto é, a presença destes equipamentos faz com que os suspeitos pensem duas vezes antes de cometer algum ato criminoso.

Além disso, é possível monitorar os entornos da casa através das câmeras, o que permite uma visão privilegiada do local para evitar riscos à saúde e ao patrimônio.

É importante se atentar que, para mais proteção, as câmeras instaladas devem contar com sensores infravermelho e tecnologia que permitam capturar as imagens em ambientes com pouca ou nenhuma iluminação.

As imagens, inclusive, devem ser gravadas e armazenadas, com um sistema de backup remoto, utilizando a nuvem, para que no caso de invasão, os criminosos não possam se apropriar dos registros de imagem, possibilitando a identificação para uma investigação policial.

Normalmente as câmeras de vigilância são instaladas nas entradas das casas, e também, em regiões vulneráveis, como a garagem ou os fundos da residência. No entanto, para maior segurança e qualidade no serviço, é fundamental realizar um planejamento para que não existam pontos cegos.

Sistema de alarme

Outro bom recurso para auxiliar na segurança patrimonial é o uso de um sistema de alarme. Ele é composto por uma rede de sensores que ficam espalhados estrategicamente pela residência e auxilia na detecção de movimento.

Assim como as câmeras de vigilância, os sistemas de alarme possuem uma variedade de sensores e componentes eletrônicos apropriados para cada situação.

Os Sensores Ativos, por exemplo, usam um sistema com infravermelho para criar uma espécie de cerca que protege a casa. Nele, uma unidade receptora e uma unidade emissora são colocadas distantes uma da outra, criando um feixe de luz infravermelho entre elas. Caso essa luz seja interrompida, a central será acionada.

O lado negativo deste recurso, é que a interrupção da luz acidental ainda dispara o alarme. Este problema pode ser corrigido pelo uso de sistemas mais sofisticados que detectam os falsos disparos.

Existe também outro tipo de sistema de alarme que utiliza sensores de movimento baseado em ondas de ultrassom. As ondas são usadas para identificar se há um movimento específico em determinada área, e, quando ativado, o sistema se encarrega de acionar a central.

Sinais são disparados através da linha telefônica ou de uma linha de celular backup (GPRS) para uma central remota que recebe e trata esses disparos. O morador define os procedimentos que deverão ser executados quando uma invasão for identificada.

Nestes casos é comum definir uma sequência de telefonemas que devem ser realizados para verificar se realmente se trata de uma situação de crime em andamento.

Estabelecem-se sistemas de senha e contrassenha, que caso não sejam devidamente confirmados, configuram uma situação de emergência que pode precipitar o envio de uma viatura ou até mesmo acionar a Polícia Militar.

Utilizar estes sensores junto a câmeras de vigilância e monitoramento garante mais proteção às residências e facilita ações preventivas.

Cercas elétricas e segurança perimetral

As cercas elétricas também se tornaram um recurso popular para combater invasões. Com custos de implementação e manutenção relativamente baixos, surgem como boa opção para coibir a presença de criminosos.

Além disso, é possível atrelar as cercas elétricas ao sistema de alarme, e quando um fio ou sistema for danificado, pode-se emitir um alerta para a central de segurança, e até mesmo, a polícia.

No entanto, não é recomendado o uso deste recurso em locais com muita vegetação, uma vez que a queda de galhos de árvores, por exemplo, pode danificar a estrutura do sistema ocasionando o disparo de um falso alarme.

A segurança perimetral é algo que merece bastante atenção pois quando existem vulnerabilidades, os criminosos se aproveitam e invadem com facilidade as residências. Concertinas, cerca laminada muros e sensores perimetrais são outros recursos que podem ser considerados.

Botão do pânico

O botão do pânico é um dispositivo para combater as invasões domiciliares. Ele é instalado dentro das casas em um local discreto e escondido em que apenas o morador tenha acesso.

Ao pressionar este botão, o sistema emite sinais de alarme silenciosos para a empresa de segurança e monitoramento que deve entrar em ação rapidamente para garantir a segurança dos moradores que estão sob ataque dos criminosos.

Os botões de pânico para emergência normalmente ficam dentro da casa em locais discretos, no entanto, existe a opção de botões móveis, podendo ser carregados no bolso ou até mesmo no carro.

Fechaduras digitais e inteligentes

As fechaduras digitais e inteligentes trouxeram praticidade para o acesso de ambientes e ainda se mostraram uma maneira segura de decidir quem deve permanecer do lado de fora.

Desde os modelos tradicionais, que utilizam senhas, até os recursos que utilizam o acesso biométrico, as fechaduras são uma adição importante nos sistemas de segurança residenciais e patrimoniais.

Com os novos modelos é possível rastrear quem entra e sai dos lugares, verificar se você se esqueceu a porta destrancada e trancá-la a partir do seu celular com o aplicativo ou, até mesmo, abri-la por comandos de voz. Muito mais facilidade e segurança para você e sua família.

É fundamental instalar nas portas e portões externos fechaduras resistentes ao arrombamento. Muitas vezes, percebendo a vulnerabilidade da fechadura externa, os criminosos se aproveitam da situação e entram no imóvel facilmente.

WhatsApp chat
Facebook
YouTube
Instagram
%d blogueiros gostam disto: